terça-feira, 30 de julho de 2013

Biografia - David Garrett


Outro dia selecionávamos canções do Rock alemão para "Musik in der Nacht" e nos deparamos com David Garrett, violinista, fazendo rock. Movidos pela curiosidade fomos pesquisar sua biografia -  músico jovem e talentoso, nascido na cidade de Aachen - Alemanha.
Aachen
David Garret - ou David Bongartz nasceu em 4 de setembro de 1980 em Aachen – cidade independente da Alemanha - Estado da Renânia do norte Vestfália – região Administrativa de Köhl. David nasceu no dia 4 de setembro de 1980. Sua mãe, americana é uma bailarina e se chama Dove-Marie Garrett. Seu pai, alemão, é um advogado e leiloeiro e se chama Georg Peter Bongartz.
David e sua família
Sra. Ida Händel
Sua história com violino iniciou quando tinha 4 anos de idade. Sr. Bongartz comprou um violino para o irmão mais velho de David Bongartz, até então, assim era seu nome e querendo imitar seu irmão, David também se interessou pelo violino. Seu pai foi seu primeiro professor e aprendeu a tocar o violino com facilidade. Quando tinha cinco anos, o pequeno músico participou de uma competição e conquistou o primeiro lugar. Com 7 anos, David Garrett começou a tocar em público e ingressou no Conservatório Lübeck. Com a idade de oito anos, seus pais passaram a usar o sobrenome de solteira da mãe e adotaram o nome de David Garrett. Entenderam que era mais fácil de pronunciar e fixar. Com dez ano fez seu primeiro Concerto.
Com doze anos de idade, David Garret começou a trabalhar com a violinista Ida Händel de Londres. Viajava com freqüência para outras e outras cidades da Europa para encontrá-la. 




 Com treze anos de idade foi o primeiro artista, nesta idade a ter contrato de exclusividade com a gravadora Deutsche Grammophon. Com 19 anos, David foi estudar na Juilliard School, na turma de Itzhak Perlman em Nova York. 
David Garrett
Sr. Itzhak Perlman

Formou-se em 2004, após 5 anos de estudos, com a idade de 24 anos. Para custear seus estudos em Nova York na Juilliard School, trabalhou em um bar, em um Café, na biblioteca da escola e na Outfitters Urban Store, onde foi convidado para desfilar, tornando-se também modelo, o que lhe rendeu o apelido de Beckham do violino
Em seu disco de estréia, gravou com Claudio Abbado.
Sr. Claudio Abbado
Desde 2008 David Garrett faz parte do Guinness Book of Records como o violinista mais rápido. O teste foi realizado no Programa de TV britânico Blue Peter, onde o músico deve trocar o mais rápido possível e que a melodia tocada seja reconhecida. Até então tinha o registro de tocar cerca de treze notas em 66,56 segundos. Em dezembro de 2008, em demonstração para o Guinness, David tocou a peça em questão no tempo de 65,26 segundos, conquistando o titulo de violinista mais rápido.

Entrevista a Revista brasileira Marie Clair

Por que tocar violino e não guitarra?
A verdade é que meu irmão _dois anos mais velho_ estava começando a aprender violino e eu quis imitá-lo. A princípio foi apenas isso, eu achava até meio chato. Mas logo depois, e estou falando de quando eu tinha seis, sete anos _eu me apaixonei inteiramente pela música. Nunca fiquei em dúvida sobre o que queria fazer da vida.

Acredita que ser bonito chama mais atenção para a música que faz?
Oh, Deus! (ri) Eu trabalho todos os dias da minha vida, vivo em Nova York e não penso muito nisso. Essa questão da aparência é secundária. Não é uma preocupação minha, é uma questão de marketing.

Sentiu preconceito no ambiente conservador da música clássica por ser um homem bonito, e que se veste de forma despojada?
Nunca. Acho que é muito importante para um público novo, jovem, que haja uma identificação e nesse caso a atitude e a aparência contam. Mas em relação aos músicos, regentes, nenhum tipo de preconceito.

Você toca um valioso violino Stradivarius. Que tipo de cuidados tem com ele? E pratica diariamente?
Estudo umas três horas por dia, às vezes mais, quando mergulho numa peça nova. Não tomo nenhum cuidado especial com meu violino, a não ser os básicos: bons arcos, manter na caixa.

Conhece música brasileira, desde a clássica até samba?
Incrivelmente não conheço a música clássica brasileira. Mas adoro a música popular brasileira e sul-americana em geral. Especialmente o samba e o tango, que adoro dançar.

O que pensa sobre o povo brasileiro?
Bom, estive no Rio e em São Paulo. O Rio é embriagante, uma beleza esmagadora, com gente relaxada e divertida. São Paulo é uma metrópole extraordinária, parece muito com Nova York, tem aquela noção de profissionalismo e uma noite poderosa. Não consegui ainda tirar férias no Brasil, mas um dia vou conseguir.

Está solteiro? Pensa em ter filhos?
Estou solteiro, sim. Filhos? Não me vejo como pai, pelo menos por enquanto. Viajo demais, sou muito negligente.

Se eu quisesse esbarrar com você, para onde iria?
Bem, eu vou muito a bons clubes. Estou na fase de ir ao Bungalow 8 [um dos mais badalados de Nova York, freqüentado por celebridades do primeiro time]. É lá que alguém pode me encontrar, se conseguir passar pela hostess. É um lugar que seleciona muito os freqüentadores.

Você cuida da fina estampa? É ligado em moda?
Eu só me preocupo com a minha saúde. Corro três vezes por semana, e nada mais. Sobre o mundo da moda, eu posso dizer que adoro freqüentar os desfiles. Nos últimos dois anos a minha agenda musical apertou demais _mas eu tento dar uma olhada sempre que posso.

Que músicas uma mulher precisa ter no iPod para atrair sua atenção?
A minha que eu toco [rindo muito]. Falando sério: tem de gostar de música em geral, ter uma mente e um coração abertos para qualquer gênero. Mas se conhecer um pouquinho do repertório de violino e também gostar de dançar, já ganhou muitos pontos.
Por João Luiz Vieira - Marie Clair






Tocando com seu pai Sr. Georg Peter Bongartz





Videos













A música clássica no momento presente através de novas interpretações e releituras, pela geração atual. 
Por isto, é clássica. 

2 comentários:

Priscila Souza disse...

Sinceramente,eu acho que o talentoso David Garrett deveria vir para Blumenau novamente para fazer um grande concerto!Sou muito fã dele e com certeza,se isso acontecesse,eu adoraria ir no concerto dele!

MARIGUI disse...

Eu o conheci a pouco tempo, Junho de 2015, e foi amor a primeira vista.
Amo a sua figura, a sua música, o seu bom gosto em escolher o seu repertório,a sua sensibilidade, o seu carisma.... Bem tudo nele é fascinante !! Sou fã e torço muito para que ele se popularize cada vez mais no Brasil, e que ele volte logo !!!!